29. Relatórios

Tiago Nazário

Untitled-29

Relatório 1

A casa é para estar numa zona plana. Numa zona com pouca precipitação. Paredes, chão e teto com 4 cm de espessura. O chão e o teto são compostos por 16 pedaços. Cada um com 1.25 m de largura e de comprimento. As paredes são compostas por 8 pedaços cada uma com 2.5 m de altura e de largura. Cada pedaço tem umas barras cilíndricas (o comprimento ainda não está definido) que vão encaixar nos buracos do outro pedaço. Formando uma parede única.

Relatório 2

A casa é para estar numa zona plana. Numa zona com pouca precipitação. Paredes, chão e teto com 4 cm de espessura. O chão e o teto são compostos por 16 pedaços. Cada um com 1.25 m de largura e de comprimento. As paredes são compostas por 8 pedaços cada uma com 2.5 m de altura e de largura. Cada pedaço tem umas barras cilíndricas (o comprimento ainda não está definido) que vão encaixar nos buracos do outro pedaço. Formando uma parede única.

Um dos pedaços da parede vai ter uma porta, de 80 cm de largura e 2 m de altura, situada a meio da parede. Os quatro pedaços laterais da parede vão ter cada um, uma janela de 50 cm de largura e de altura a 1,50 m do chão. A casa vai ser de madeira, vai ser um cubo. Para desmontar a casa basta tirar pedaço a pedaço das paredes e do chão como se fosse um puzzle.

Relatório 3

A casa é para estar numa zona plana. Numa zona com pouca precipitação. Paredes, chão e teto com 4 cm de espessura. O chão e o teto são compostos por 16 pedaços. Cada um com 1.25 m de largura e de comprimento. As paredes são compostas por 8 pedaços cada uma com 2.5 m de altura e de largura. Cada pedaço tem umas barras cilíndricas (o comprimento ainda não está definido) que vão encaixar nos buracos do outro pedaço. Formando uma parede única.

Um dos pedaços da parede vai ter uma porta, de 80 cm de largura e 2 m de altura, situada a meio da parede. Os quatro pedaços laterais da parede vão ter cada um, uma janela de 50 cm de largura e de altura a 1,50 m do chão. A casa vai ser de madeira, vai ser um cubo. Para desmontar a casa basta tirar pedaço a pedaço das paredes e do chão como se fosse um puzzle.

Para não por o chão da casa em contacto com o solo vou por umas sapatas de 20 cm, para elevar a casa. Talvez uns paneis solares, mas ainda não tenho a certeza.


Trabalho crítico — número 30 - Vítor Santos

Para já, a condição de ser uma casa num barco é logo uma desvantagem, visto que, a casa não pode ser transportada para muitas zonas, mais propriamente no interior dos países.

O material da casa é bom, porque vai estar sujeito a água e se fosse por exemplo madeira ia inchar e não ia ficar bem.

No segundo relatório acho que errou ao mudar o material, com a madeira não vai dar, a água vai fazer com que a madeira incha. Acho que as chapas de alumínio eram melhores.

Depois o número 30 diz que a casa vai ser cubica e tem 30 m2, isso é impossível, para ter 30 m2 não pode ser cubica tem de ser um paralelepípedo. Concordo com os paneis fotovoltaicos, mas devia ter aprofundado mais esse assunto. No desenho não parece estar lá desenhado esses tais paneis, nem o barco.

Acho que tem pouco espaço para fazer tantas divisões, mais valia fazer só a divisão da casa de banho e o resto era “open space”.

É suposto a casa ser desmontável, e isso é o principal neste projecto, e o número 30 não aprofundou muito isso, não percebi muito bem como a casa se vai desmontar, encaixes de puzzle nas arestas não diz nada ao certo. Não explica as medidas do teto e das paredes, nem a altura da casa.

Achei que se repetiu demasiado nos relatórios, e que estavam demasiado curtos.

Retirava a parte de ser num barco, e continuava com a casa que descreveu no primeiro relatório, acho que se veio a prejudicar com as mudanças do primeiro relatório para os outros.

© José-António Moreira